Seguro empresarial: qual é o porte das empresas que precisam dele? 1


Quando se fala em seguro empresarial, muitos gestores acreditam que sua empresa não possui um porte suficiente, que justifique sua contratação.

Mas imagine que, certo dia, você chega para trabalhar e se depara com as portas do seu empreendimento abertas e vários computadores, notebooks e telefones e equipamentos furtados.

Ou então que um incêndio, ou uma queda grave de energia elétrica, acometeu o prédio onde seu negócio próprio está instalado e provocou destruição e perda de objetos e máquinas importantes.

Ninguém está livre de riscos e prejuízos não planejados, não é mesmo?

Só o fato de um empreendimento existir já faz com que ele esteja sujeito a qualquer tipo de imprevistos. E isso envolve uma gama de possibilidades negativas, entre as quais:

  • Assaltos;
  • Incêndios;
  • Panes elétricas;
  • Precipitações atmosféricas;
  • Problemas de engenharia;
  • Acidentes de trabalho de seus funcionários.
  • Prejuízos que sua empresa possa causar a algum cliente.

A maneira como a empresa irá enfrentar esse problema é o que irá ditar sua manutenção no mercado ou o seu completo fracasso, afinal nem sempre há uma reserva financeira disponível e suficiente para algo nesse sentido.

É nesses momentos que fica evidente a importância do empreendimento estar coberto por um seguro empresarial.

Embora, à primeira vista, o seguro pareça ser um investimento vazio, ele resguarda todo o patrimônio e permite que o empresário não desvie o foco dos negócios e de suas transações nem mesmo quando uma calamidade ou um sinistro acometa o local ou a atividade de trabalho.

Você ainda não sabe se vale realmente a pena investir em seguro empresarial? Para ajudá-lo a decidir, conheça as respostas para as dúvidas mais comuns sobre o tema.

Qual a vantagem de se investir em um seguro empresarial?

As vantagens são indiscutíveis, especialmente quando chegar a hora de você precisar dele.

Ter o empreendimento coberto por um seguro empresarial garante proteção contínua contra danos decorrentes de fatos inesperados e minimiza as perdas financeiras que podem vir a decorrer deles, já que esse problema agora é da seguradora.

Qual o tipo e o porte da empresa deve ter para valer a pena investir em um seguro empresarial?

Independente do tamanho do negócio que gerencia e do ramo de atividade que oferece, você sabe que, mais cedo ou mais tarde, pode se deparar com algum imprevisto, como em tudo na vida.

Se for uma pequena ou média empresa, os efeitos de qualquer tipo de calamidade podem ser devastadores: ela dificilmente terá fôlego e investimento suficiente para dar a volta por cima.

O mesmo acontece com uma grande empresa; como os investimentos são maiores em equipamentos e máquinas, os prejuízos também devem interferir diretamente na saúde financeira do empreendimento.

Então, é importante ficar atento. O seguro empresarial irá resguardar o patrimônio do negócio e evitar que as atividades e a rotina operacional sejam suspensas por determinado período, caso algo fora dos planos aconteça.

O que deve ser levado em conta na hora de contratar um seguro para a empresa?

Em primeiro lugar, o empresário precisa fazer uma minuciosa análise da dimensão do impacto que um determinado imprevisto poderia vir a causar ao seu negócio.

Depois, com isso em mãos, precisa avaliar o tipo de cobertura que lhe é mais adequada e excluir os possíveis riscos que não chegam a representar efetivas ameaças para a empresa.

O importante é estudar bem a sua escolha e as propostas que lhe forem oferecidas para não ser pego de surpresa na hora que mais precisar.

O que pode ser coberto no seguro da empresa?

Depende do tipo de empreendimento e do interesse do cliente em segurar o que considera mais conveniente, de acordo com a situação do seu negócio.

Existem no mercado, hoje, diferentes tipos de cobertura para empresas de diversos tipos, tamanhos e áreas de atuação. E não é só o patrimônio material da organização — sua frota, máquinas e prédio — que pode ficar resguardado: há apólices que também protegem:

  • O patrimônio humano (funcionários e colaboradores);
  • A vida financeira (frente a prejuízos em negociações);
  • Todo o espólio empresarial para o caso de processos judiciais e administrativos, por exemplo.

Quais os tipos de seguros empresariais que existem no mercado?

Existem dezenas de opções de seguro no mercado hoje, que englobam todos os tipos de cobertura. Eles são, basicamente, divididos em três grandes grupos:

  • O primeiro deles protege contra prejuízos ou danos causados aos bens da empresa, envolvendo prédios, máquinas, obras, mercadorias em trânsito, descumprimento de contratos e frotas, entre outros;
  • O segundo resguarda as responsabilidades civis da empresa no caso dela causar dano ou prejuízo a terceiros, tanto de forma involuntária quanto acidental.
  • E, por fim, há apólices que asseguram os empregados contra doenças, lesões ou morte.

É caro investir um seguro para a empresa?

Os preços variam bastante, porquanto vão depender da quantidade de riscos que serão segurados, do porte da empresa, da atividade por ela exercida, dos tipos de materiais e maquinários nela contidos e da localização do estabelecimento.

Além disso, o preço pode variar também de acordo com dois critérios que costumam ser levados em conta pelas seguradoras:

  • A probabilidade do sinistro ocorrer;
  • A possibilidade dele alcançar um dano máximo na empresa.

Isso é feito por meio de uma análise da seguradora, que avalia a situação atual da empresa, o modo como é administrada e as prováveis implicações que podem ocorrer em caso de imprevistos financeiros.

Dessa forma, é importante que o empreendedor acompanhe de perto todo o processo de análise e contratação do seu seguro empresarial, desde a avaliação de riscos internos do seu negócio até a escolha da apólice mais adequada para a real situação da empresa.

Ele precisa sentir completa confiança na seguradora escolhida e no atendimento prestado por ela e pelo seu corretor; as duas partes devem providenciar juntas o delineamento exato dos direitos e obrigações de cada uma.

Todas essas decisões devem constar de forma detalhada em contrato para evitar dúvidas e discussões futuras. Se a empresa decidir pelo investimento em um seguro empresarial, então todo esse processo precisa ser bem feito e estar bem esclarecido!

Você já enfrentou um sinistro e desejou ter contratado anteriormente um seguro empresarial? Deixe seu comentário no post contando sua história.


Sobre Hygons Hypolito

"O maior beneficio dos seguros é dar tranquilidade para que as pessoas possam sonhar, ousar e realizar com a certeza de que os riscos de viver e trabalhar estão protegidos." Sou empreendedor, corretor de seguros, empresário, curioso, eterno aprendiz, viciado em tecnologia.


Sua opinião é o meu combustível!

Um pensamento em “Seguro empresarial: qual é o porte das empresas que precisam dele?