Saiba como escolher uma corretora de seguros confiável


Quem pensa em fazer um seguro se preocupa, antes de tudo, com segurança, não é verdade? À primeira vista, parece bem óbvio. Contudo, na ansiedade de contratar uma apólice que dê coberturas sobre pessoas e bens diversos, a segurança da própria contratação pode ser deixada de lado.

Assim, quem procura por garantias acaba caminhando na direção oposta, se envolvendo em um negócio incerto. Logo, é preciso checar a reputação da empresa que vende os seguros, para se ter a certeza de negociar com quem entende do assunto e presta bons serviços, agindo dentro da lei.

E é justamente disso que trataremos no post de hoje. Então, continue lendo e confira tudo o que você precisa saber sobre como escolher uma corretora de seguros!

Seguradora x corretora

Muitas pessoas fazem confusão entre o que é uma seguradora e o que é uma corretora de seguros. Portanto, o primeiro passo é saber distinguir uma empresa da outra.

Grosso modo, as seguradoras são as empresas que disponibilizam os vários tipos de seguros existentes. São elas que se encarregam de ofertar as coberturas, de fixar os prêmios — ou seja, os preços das apólices — e receber as propostas dos interessados em contratar um seguro.

Também são as seguradoras que assumem as responsabilidades contratuais diante do segurado, inclusive aquelas que tratam do pagamento das indenizações, quando ocorre um sinistro.

Na condição de corretora, por sua vez, uma empresa funciona como a intermediadora da negociação entre o segurado e a seguradora.

Assim, por um lado, ela comercializa os produtos da seguradora. Por outro lado, ela também presta assistência ao segurado, no que diz respeito às condições contratuais e às providências que devem ser tomadas quando é preciso acionar a seguradora.

Justamente por conta disso, é preciso ter certeza de que essa intermediadora é uma empresa idônea, que oferece um serviço de qualidade e que está devidamente credenciada para prestar tal serviço.

O credenciamento na Susep

O Decreto-Lei nº 73, de 1966, regulamenta o setor securitário brasileiro e cria a Superintendência Nacional de Seguros Privados (Susep) — a entidade pública federal encarregada de normatizar e fiscalizar o setor.

Para que uma corretora funcione legalmente no Brasil, portanto, é indispensável que ela seja registrada na Susep e autorizada pela instituição a comercializar seguros no país.

Por isso, é fundamental ter certeza de que a empresa está devidamente credenciada para atuar no mercado de seguros, na condição de corretora. E a consulta dessa regularidade pode ser feita facilmente, por intermédio do próprio site da Susep.

A avaliação do mercado

Ainda assim, ser credenciada não é o único critério para qualificar uma corretora na condição de uma boa prestadora de serviços. Também é preciso buscar as avaliações do mercado sobre essa empresa.

Tais informações podem ser buscadas de várias formas. É possível, por exemplo, pesquisar junto ao Procon se a corretora é motivo de muitas queixas, ou se ela costuma resolver os problemas com os quais se envolve.

Na internet, inclusive em sites de avaliação dos consumidores, também são publicadas informações pertinentes às corretoras, e que são feitas diretamente pelos reclamantes.

Ainda, obter opiniões diretas dos clientes também funciona. Afinal, da mesma forma que quem fica satisfeito com um serviço se sente bem em divulgá-lo, quem se sente mal ou lesado com um atendimento ruim não esconderá a insatisfação.

O porte da empresa

Para que haja a formalização de uma empresa junto à Susep, existem certos critérios que devem ser cumpridos. Ainda assim, não é exigido que a empresa tenha um grande porte, com capacidade para atender a várias demandas simultaneamente sem que isso comprometa a qualidade do atendimento.

Portanto, entre os aspectos a se levar em conta sobre como escolher uma corretora de seguros, vale incluir a avaliação do porte da empresa. Afinal, quanto mais estruturada ela estiver, melhor será seu atendimento — tanto na venda do seguro quanto na assistência ao segurado.

A saúde financeira da empresa

Às vezes, corretoras que estão passando por dificuldades financeiras tendem a baratear muito o serviço de intermediação que prestam, buscando desonerar o valor da apólice para, assim, conquistar mais clientes.

Contudo, essa é uma prática que acaba comprometendo a qualidade dos serviços, e colocando sob suspeita a própria capacidade de atendimento da corretora.

Diante disso, vale a pena fazer uma pesquisa — ainda que superficial — sobre a saúde financeira da empresa. Isso pode ser avaliado, por exemplo, observando a forma e a eficiência com a qual as informações são passadas ao cliente.

O credenciamento junto às seguradoras

Também vale observar que o credenciamento de uma corretora junto à Susep não a regulariza automaticamente junto às empresas seguradoras.

Na verdade, cada seguradora tem seus próprios critérios de avaliação para o credenciamento das corretoras. Diante disso, observar o número de seguradoras junto às quais uma corretora está credenciada também é importante.

Quanto maior for o número de seguradoras com as quais a empresa se relaciona, maior será a variedade de seguros que ela poderá ofertar — e maiores serão as condições de ela apresentar comparativos entre os vários planos.

Logo, quem é atendido por uma corretora que mantém relacionamento com um grande número de seguradoras tem mais opções para escolher entre as coberturas, preços e condições de pagamento.

A forma de atuação no mercado

De fato, o mercado de seguros apresenta um número enorme de produtos, e algumas empresas se especializam em determinados seguimentos. Com isso, restringem bastante o portfólio de seguros que são capazes de oferecer — o que, muitas vezes, não é apropriado para o segurado.

Por outro lado, há também empresas que atuam de maneira desordenada no mercado, buscando uma expansão rápida sem se preocupar com a sustentação da qualidade do atendimento aos clientes.

Convém, portanto, observar se a corretora não está acelerando demais a progressão no mercado em detrimento dos serviços que presta.

A qualidade da equipe

A capacidade de acolher profissionais de várias áreas e gente com vários níveis de formação é outra característica do mercado de seguros.

Muitas vezes, pessoas que não deram certo em outras atividades profissionais, ou que não têm a mínima qualificação para lidar com as necessidades dos segurados, se abrigam em uma corretora a fim de “tentarem a sorte”.

Portanto, na hora de escolher a melhor seguradora, também é essencial avaliar o nível de qualificação dos seus profissionais.

A qualidade do pós-venda

Por fim, a venda do seguro não deve ser o único foco de uma corretora, uma vez que os segurados precisam de uma assistência permanente.

Por isso, é preciso ainda avaliar o pós-venda das empresas. E, sem dúvida, aquelas que têm motivos para se orgulhar dos seus serviços poderão, com grande facilidade, te apresentar clientes dispostos a dar referências sobre o assunto.

E aí, gostou do post? Agora, se ainda tem alguma dúvida sobre como escolher uma corretora de seguros, ou deseja ainda mais informações sobre nossos produtos, entre em contato conosco! Teremos grande satisfação em poder ajudar.

 


Sobre Hygons Hypolito

"O maior beneficio dos seguros é dar tranquilidade para que as pessoas possam sonhar, ousar e realizar com a certeza de que os riscos de viver e trabalhar estão protegidos." Sou empreendedor, corretor de seguros, empresário, curioso, eterno aprendiz, viciado em tecnologia.

Sua opinião é o meu combustível!