9 perguntas sobre seguros empresariais


 

Toda empresa está sujeita a inúmeros riscos: crises financeiras — e a consequente queda na lucratividade —, responsabilização civil e danos ao patrimônio são apenas alguns exemplos deles.

Ainda que ela adote ações preventivas e tenha um bom planejamento financeiro, alguns desastres podem implicar sérios prejuízos econômicos e levar a empresa à falência.

Em função dessa realidade — e para não ficar à mercê da sorte —, cada vez mais empreendedores têm contratado os seguros empresariais como estratégia para se resguardar contra eventuais danos.

Continue lendo o post de hoje e veja como essa é uma opção inteligente e viável, independentemente do porte da empresa. Aqui vamos tirar algumas dúvidas sobre seguros empresariais para que você saiba tudo sobre o assunto. Confira!

1. Quem pode contratar o seguro empresarial?

Esse seguro pode ser contratado apenas por pessoas jurídicas e que tenham algum patrimônio, seja ele material ou civil. Ele abrange, portanto, comércios em geral, agências, clínicas, consultórios, escritórios, entre muitos outros estabelecimentos.

2. Quais os riscos protegidos em uma cobertura básica?

A cobertura básica é também chamada de “obrigatória”, uma vez que ela é indispensável em um processo de seguro empresarial. O cálculo desse seguro é feito com base no valor que seria necessário para reconstruir o imóvel, desde a parte estrutural, até o estoque, os móveis e o que mais existir no local.

Essa cobertura é contra incêndio — que pode ser iniciado tanto dentro quanto fora do estabelecimento —, explosão — seja ela decorrente de gás ou combustível, apenas se ocorrido dentro do edifício ou terreno —, e contra raio, desde que ele caia na empresa.

3. Quais são as coberturas adicionais?

As coberturas adicionais dividem-se em três grupos. A primeira é contra prejuízos e danos causados aos bens da empresa ou ao negócio por eventos diversos.

Essa modalidade pode incluir cobertura para o prédio e o maquinário, contra roubo e furto, valores, obras civis, mercadorias em trânsito, seguro de crédito, descumprimento de contratos, despesas fixas e lucros cessantes.

Em segundo lugar, a empresa também pode optar pela cobertura por responsabilidade civil, em que a indenização é paga caso ela seja obrigada a ressarcir terceiros por causar danos ou prejuízos, voluntariamente ou não.

Entre elas, podemos citar a responsabilidade civil decorrente do produto comercializado, do empregador, de obras ou serviços e de prestação de serviços a terceiros. Por fim, existem os seguros para proteção pessoal do empregador e dos empregados — como seguro de acidentes pessoais e doenças, seguro de vida e de saúde.

4. Existem seguros para atividades específicas?

Sim, existem seguros empresariais específicos para algumas atividades. É o caso do seguro agrícola, que protege contra danos ao plantio e na manutenção da lavoura, seja por eventos climáticos, incêndios ou pela não germinação das sementes.

Outro seguro específico é o educacional, que pode ser contratado por instituições de ensino. Ele cobre as mensalidades escolares em caso de morte ou invalidez do responsável pelo aluno, podendo também ser contratada para cobertura em caso de perda de emprego.

5. Qual o custo-benefício do seguro?

O seguro empresarial, assim como qualquer outro seguro, mostra-se bastante vantajoso em casos de sinistros. Isso porque ele garante o respaldo necessário para que a empresa atue em situação regular e em franca expansão. Afinal, a empresa minimiza as chances de perdas financeiras significativas e inesperadas ao transferir os riscos para a seguradora contratada.

Essa medida de proteção ao patrimônio e de minimização dos danos é extremamente vantajosa para qualquer empresa, sobretudo para as de pequeno porte, para as quais um impacto econômico negativo pode significar a sua ruína.

6. Como é calculado o preço do seguro?

O seguro é calculado, inicialmente, sobre a totalidade de coberturas que você pretende segurar, bem como sobre a empresa. A partir daí, os preços são calculados segundo os critérios de probabilidade de ocorrência de sinistro, de acionamento da seguradora e de se atingir o dano máximo em decorrência desse sinistro.

Nesse sentido, quanto maior a chance de o seguro ser acionado, maior será o valor do prêmio. É por isso que, ao calcular o valor, a seguradora faz uma análise da organização da empresa e verifica dados como a forma de administrá-la, os sinistros já ocorridos, sua localização e tudo o que puder influenciar no pagamento da apólice.

7. Quais cuidados devem ser tomados na hora da contratação?

O principal cuidado antes de escolher um seguro empresarial é entender os riscos aos quais a que sua empresa está sujeita para que sejam contratadas as coberturas adequadas.

Em seguida, é fundamental contar com a orientação de um corretor de seguros para analisar o contrato e entender quais são os direitos e as obrigações de cada parte, assim como quais riscos estão excluídos e o que pode levar à recusa do pagamento da indenização.

Prestar as informações corretamente, não omitir dados da empresa e apresentar os documentos idôneos solicitados é fundamental para não haver complicações no processo indenizatório do seguro.

8. É possível contratar proteção contra acidente de trabalho?

A empresa pode contratar a cobertura de responsabilidade civil (RC) do empregador na apólice de seguro de responsabilidade civil empresarial.

A RC empregador inclui, entre outras proteções, a indenização por danos corporais sofridos pelos empregados ou prepostos em acidente de trabalho, assim como por morte e invalidez. Doenças e danos morais, em geral, não são cobertos. Todavia, a seguradora pode oferecer essa cobertura adicional.

9. Existe a cobrança de franquia nos seguros empresariais?

Nos seguros empresariais também há a cobrança de franquia. Todavia, as situações e o percentual sobre o qual ela é cobrada podem variar de acordo com a seguradora. Nesse sentido, algumas seguradoras só cobram a franquia sobre as coberturas adicionais, mas não sobre a básica.

Em geral, a franquia é cobrada no valor correspondente a 10% dos prejuízos calculados, respeitado o valor mínimo. Esse valor mínimo para acionamento do seguro, por sua vez, deve estar determinado no contrato celebrado com a seguradora. Por isso, mais uma vez, a assessoria de um corretor de seguros se faz imprescindível.

Respondidas todas essas dúvidas sobre seguros empresariais, é possível perceber o quanto ele é necessário para o empreendimento e como vários danos podem ser cobertos, minimizando, portanto, os riscos a que o negócio está sujeito.

Gostou do post? Então aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais para que outros empresários vejam a importância desse seguro!


Sobre Hygons Hypolito

"O maior beneficio dos seguros é dar tranquilidade para que as pessoas possam sonhar, ousar e realizar com a certeza de que os riscos de viver e trabalhar estão protegidos." Sou empreendedor, corretor de seguros, empresário, curioso, eterno aprendiz, viciado em tecnologia.

Sua opinião é o meu combustível!