5 dicas para acertar no seguro de viagem no intercâmbio


 

Vai viajar e precisa garantir uma assistência, caso necessite de atendimento médico? O seguro de viagem no intercâmbio é um fator essencial e muitas vezes obrigatório, dependendo do país que se pretende visitar.

Escolher o serviço ideal não é tarefa fácil, pois há várias questões envolvidas. Por isso, listamos 5 dicas que vão te ajudar na hora de decidir por um seguro de viagem internacional.

Quer saber mais? Acompanhe!

1. Entenda a importância do seguro de viagem internacional

Na hora de adquirir um seguro de viagem internacional, é possível optar por pacotes mais baratos — com menos cobertura — ou mais caros.

A assistência é importante principalmente para quem pretende permanecer um tempo maior fora do Brasil. Isso porque o turista enfrentará condições diferentes de clima, moradia, alimentação e outros fatores que podem acarretar problemas de saúde ou até imprevistos.

Esteja assegurado em casos de imprevistos

Ninguém imagina que, ao viajar para o exterior, será atropelado. Mas e se acontecer? É mais fácil e barato pagar um seguro de viagem internacional do que custear as despesas hospitalares na moeda local.

Se o passeio for por países da Europa ou pelos Estados Unidos, onde as moedas são muito mais caras do que o real, imagina o desfalque no orçamento que uma internação hospitalar causaria!

Ou seja: o seguro garante mais tranquilidade para fazer os passeios (e se concentrar nos estudos) e a segurança de que será socorrido em caso de necessidade. Essa facilidade pode vir até em um caso simples, como a perda de bagagem pela companhia aérea, por exemplo.

Em uma situação como essa, é só entrar em contato com a seguradora. Solicite um reembolso do valor necessário para comprar roupas e calçados enquanto a empresa responsável “procura” pelos seus pertences.

2. Saiba quando o serviço é obrigatório

Os países da Europa exigem que o turista tenha uma assistência médica para acidentes e emergências. Essa normativa foi definida no Tratado de Schengen, um acordo entre as nações da União Europeia.

Segundo a norma, o serviço viagem deve garantir uma cobertura mínima de 30 mil euros. Portanto, se a intenção for visitar lugares como Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França e outros que englobam essa região, é preciso adquirir um seguro antes de embarcar.

O indicado é sempre verificar se o país de destino exige uma cobertura mínima de saúde para a viagem. Porém, mesmo que não haja a obrigatoriedade, o ideal é ter uma assistência contratada para os casos de imprevisto.

3. Entenda o que deve ser coberto

Um seguro de viagem internacional, mesmo no plano básico, deve ter uma cobertura para despesas médicas ou hospitalares, morte acidental, extravio de bagagem, roubo ou extravio de documentos e traslado sanitário, entre outros fatores essenciais.

Veja como funciona o cálculo do valor

valor varia de acordo com a idade, o destino da viagem e o tempo de permanência. Também é considerado se o turista faz passeios radicais ou apresenta doenças preexistentes, entre outros fatores.

Um adulto saudável, com idade entre 21 e 69 anos, pode pagar aproximadamente R$ 174 por um pacote básico de 11 dias para a Europa. Já se essa mesma pessoa ficar na região por 6 meses, o valor do seguro sobe para R$ 1.569, devido ao tempo de permanência.

A contratação do serviço deve ser válida para toda a duração da viagem. Ou seja: se um estudante permanecer em uma nação estrangeira por um ano, o seguro precisa cobrir todo o período.

Analise os preços do país de destino antes de contratar o serviço

Vale lembrar que, na hora de escolher o pacote ideal, é preciso levar em consideração os custos dos atendimentos em saúde do local que se pretende visitar.

Os Estados Unidos, por exemplo, são conhecidos mundialmente pelas altas taxas da área. Uma internação hospitalar pode passar dos 2.200 dólares, segundo dados da Kaiser Family Foundation.

Além disso, é importante considerar se a mulher está grávida ou se o viajante apresenta alguma doença preexistente. Nesses casos, é aconselhável optar por um plano mais completo, que assegure uma cobertura maior, caso o paciente precise ficar mais dias no hospital.

O turista que gosta de se aventurar também precisa se preocupar em adquirir um pacote mais abrangente, que garanta assistência para eventuais machucados em casos de imprevistos. É importante, portanto, avaliar os possíveis custos de tratamento antes de contratar o serviço.

Se o valor, no país a ser visitado, é muito alto, talvez compense escolher um seguro que ofereça maior cobertura, como de 100 mil dólares (ou, dependendo do caso, de 1 milhão de dólares). Sairá mais barato contratar um serviço com maior abrangência do que pagar por um tratamento médico no exterior.

4. Contrate o serviço antes de sair do país

O pacote deve ser contratado antes mesmo da data de embarque no aeroporto, já que é preciso emitir os comprovantes. Além disso, muito provavelmente esses documentos serão solicitados na hora em que você passar pela imigração.

Dependendo do caso, a não apresentação deles pode resultar na negação da permissão de entrada no país.

5. Saiba como escolher o melhor seguro de viagem no intercâmbio

Escolher o seguro de viagem ideal não é fácil. É preciso considerar diversos fatores, como: preço, disponibilidade de atendimento, confiança passada pelos atendentes, cobertura do plano e reputação da empresa.

O mais indicado é fazer uma pesquisa de preço e tentar descobrir com outros viajantes qual serviço já utilizaram. Procure por informações em sites como o Reclame Aqui, que costuma ser ótima ferramenta de análise para os consumidores.

Leve em consideração, além disso, a cobertura do plano, o preço e o atendimento oferecido. Afinal, se o atendente não for muito solícito na hora de vender um pacote, já é possível desconfiar que, quando você precisar do serviço, a conversa será ainda mais difícil, certo?

Lembre-se, ainda, de ler o contrato inteiro antes de adquirir o serviço. Assim, você terá certeza sobre todos os aspectos cobertos pelo plano e evitará surpresas desagradáveis.

Depois de contratar o seguro de viagem no intercâmbio, o ideal é carregar o documento consigo durante todo o tempo. Quer saber mais sobre o assunto? Solucione, agora, as 8 maiores dúvidas sobre a assistência para viagens internacionais!


Sobre Hygons Hypolito

"O maior beneficio dos seguros é dar tranquilidade para que as pessoas possam sonhar, ousar e realizar com a certeza de que os riscos de viver e trabalhar estão protegidos." Sou empreendedor, corretor de seguros, empresário, curioso, eterno aprendiz, viciado em tecnologia.

Sua opinião é o meu combustível!